Paternidade: um vetor do processo de autoconhecimento do homem


O nascimento é só o começo de uma revolução

De tantas expressões que me rodeiam no lindo e desafiador universo da paternidade, existem duas ações que me puxam para a maior potência de transformação da minha vida de homem-pai:

1) Estar disponível; e 2) entregar.

Falar de disponibilidade parece ser meio óbvio em se tratando da presença física, mas assim como ela, existe uma outra disponibilidade igualmente importante que é a vontade. Um tipo de abertura interna para as novas mudanças na sua vida.

Querendo ou não, lidamos com isso nos altos e baixos da vida, às vezes como um fardo pesado ou como um convite para o crescimento. Nos dois casos é um desafio de maturidade.

Leia o texto na íntegra pelo link: https://papodehomem.com.br/paternidade-um-vetor-do-processo-de-autoconhecimento-do-homem


Recent Posts
Archive